0
Meu carrinho
Carrinho Vazio
04/09/2021

Energia dos alimentos: qual a relação entre espiritualidade e nutrição?

Segundo uma pesquisa realizado por uma instituição canadense, 95% das pessoas que emagrece através de dietas, volta a engordar no período de 1 a 5 anos. Mas, porque isso acontece? Fatores genéticos? Falta de força de vontade? Excesso na oferta de alimentos?
Para alguns estudiosos de uma espécie de movimento chamado mindfull eating, ou “comer com atenção” o problema está na relação com a comida e na energia dos alimentos. Para quem estuda e segue a filosofia, a maioria das pessoas não consegue compreender a linguagem do próprio corpo e não sabe fazer escolhas mais nutritivas, considerando mente, corpo e espírito.
A prática do mindufull eating está diretamente ligada na energia dos alimentos e também na relação com a nutrição. A base dessa filosofia, que promete mais qualidade de vida, vitalidade e energia, se baseia em muitos dos princípios criados por Deepak Chopra, um médico indiano que é referência na medicina ayurveda.

Para conhecer mais sobre a relação entre espiritualidade e alimentação, e conhecer um pouco mais sobre a energia dos alimentos, não deixe de conferir!

A energia dos alimentos: de onde vem?

Segundo Chopra, em seu livro “As sete regras espirituais para o sucesso: um guia prático para conquistar seus sonhos” é necessário realizar algumas práticas no dia a dia, que conduzem o indivíduo ao bem-estar e à boa saúde. Muitas dessas práticas estão ligadas à escolha dos alimentos, além da sua energia e poder nutricional.

Para o médico indiano, a realização dessas práticas diariamente é o que conduz o indivíduo à uma alimentação saudável e uma vida com mais plenitude e energia.

A hora de se alimentar

Quantas pessoas se alimentam nos dias de hoje olhando uma TV ou a tela de um celular? Porém, a digestão dos alimentos se inicia logo na boca. Por isso, é fundamental prestar a atenção no sabor e na textura dos alimentos. Isso, além de melhorar a qualidade e o prazer da alimentação, beneficia os processos digestivos e até a saciedade.

Para o médico indiano, parar e ficar em silencio durante as refeições é um passo essencial, que pode trazer efeitos diretos sobre a satisfação e a saciendade.

Gratidão pelos alimentos e prazer pela comida

Outro ponto levantado por Chopra diz respeito à relação que temos com os alimentos. Muitas pessoas encaram o ato de se alimentar como algo simplesmente mecânico. Poucas sabem agradecer pelo alimento que possuem e reconhecer seu poder de nutrir e oferecer energia para o corpo.
Para Chopra, ser grato e agradecer pelos alimentos muda a relação da pessoa com a comida, fazendo com que a pessoa crie mais consciência sobre suas escolhas alimentares, que influenciam diretamente na saúde do indivíduo.

Você tem fome de que?

Chopra defende que a maioria das pessoas não sabe reconhecer a própria fome e se alimentar de acordo com as necessidades do corpo. A maioria das pessoas come de forma condicionada, muitas vezes, sem sequer estar com fome. Além disso, alimentos com excesso de açúcar e gordura, geram uma espécie de vício, que dificulta o reconhecimento da fome como uma necessidade do corpo.

A maioria das pessoas, especialmente do ocidente enxerga apenas a questão do prazer da comida. Mas muitas são incapazes de reconhecer os efeitos dos alimentos para o corpo e, como fazer escolhas saudáveis a partir desses conhecimentos.

Causa e efeito

A ingestão de certos alimentos nos períodos certos pode ativar o metabolismo, gerando assim um funcionamento melhor do organismo. É o caso, por exemplo, da ingestão de proteínas e gorduras pelo período da manhã que aumentam a saciedade. Ou o consumo de fibras, que melhoram o funcionamento dos intestinos.

Trocas consistentes

A apresentadora de televisão Bela Gil virou meme na internet devido às famosas frases onde sugeria a substituição de alimentos saudáveis. As escolhas, no entanto, dizem muito sobre os efeitos e a energia presente em nosso corpo. Trocar o pão do sanduíche por folhas de alface, o iogurte grego adoçado por coalhada e os refrigerantes por água com limão, por exemplo, são um exemplo de consciência e que geram menos esforço na hora de se alimentar.

A alimentação nutritiva e com bons efeitos para o organismo é simples. Ou seja, a famosa história de descascar mais e desembalar menos.

A fome e o desejo

Você já parou para pensar no que está por trás do desejo de consumir determinados alimentos? Crianças nascidas na década de 80, por exemplo, tinham no fast food e nos doces uma forma de compensação com relação aos bons comportamentos. Não é de se estranhar, portanto, que tantos adultos busquem esse tipo de alimento quando se sentem insatisfeitos ou infelizes.

É importante reconhecer a memória afetiva que temos com relação aos alimentos, sabendo fazer melhores escolhas, além de buscar solucionar questões emocionais da forma certa.

A comida em geral não preenche vazios.

A energia dos alimentos e a relação com a alimentação estão intimamente ligadas ao bem-estar físico e também à boa forma. Enquanto o indivíduo não reconhece o poder dos alimentos para a sua saúde e desenvolve uma relação a partir dessa ótica, as dietas estarão fadadas ao fracasso. Afinal, mais do que alimento, a questão está na forma como nos relacionamos com a comida.

Você já conhecia a relação entre a energia dos alimentos, a nutrição e o emagrecimento? Deixe seus comentários abaixo!